Tá Perdido? Pergunta, sô.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

É científico ou...

Esta edição não é uma idéia nova. Já sabemos do que ela é capaz. Sabemos que ela fará milhares de adolescentes, pré adolescentes e pacientes de clínicas de mau gosto pra revistas de sala de espera suspirarem de paixão platônica.

Esta edição venderá mais do que a que tinha o Harry Potter na capa usando só um chapéu de mago e segurando sua varinha. Venderá mais do que tinha o vampiro daquele filme de vampiros albinos virgens. Só não venderá mais do que a do Zac Efron porque nessa a comunidade gay contribuiu forte no consumo.

Esta edição rendeu nada menos que 39 convites para ensaios fotográficos sensuais em revistas de renome, nacionais e internacionais. Todas recusadas em nome da orgulhosa discrição que ostenta o artista e também por causa do cache vergonhoso que ofereciam pelas fotos, quase todas só de chapéu e óculos.

Esta edição trará um uma nova era ao universo insuportável da adolescência. Segredos serão desnudados. Verdades inacreditáveis serão chamadas de mentiras sensacionalistas. Paparazzi encontrarão um novo motivo pra viver.

Este post é, mais do que pra comprovar um fato, responder uma simples pergunta. Leandro Mani é científico? Ou tá na Capricho?


















Feliz Natal!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Balanço Analítico Consolidado


Impossível eu levar a vida que eu levo e não tentar fechar qualquer ciclo quando vejo isso acontecendo. Vejamos, estamos agora em dezembro, portanto 2009 está se encerrando. E aí comecei a dar uma pensada aqui, uma refletida ali...

Mas antes, queria analisar algumas outras coisas que andei lembrando. Sabem, para uma pessoa que geralmente não tem memória, quando lembro de algumas coisas é melhor escrever, se não se perde para sempre mesmo. Há 20 anos atrás, em 1989, lembro de um acontecimento mega importante na minha vida de criança: foi quando ganhei o Castelo de Greyskull.



Eu lembrei do ano por que no dia em que eu ganhei esse presente, foi o dia que o goleiro Rojas deu o Show do Rojão na Copa América. É, coisas importantes sempre acontecem em dias especiais. Foi especial para mim. Lembro que meus pais me olharam, com aquele olhar infalível meio envergonhados - meio *vou te matar se você não agradecer a Tia Lima (o nome foi alterado como sempre) como ela merece!*. Eu agradeci muito, é claro. E depois, quando cheguei em casa, peguei minha coleção (pequena) de bonecos do He-Man e exalava alegria. Meus irmãos morriam de inveja. Mas foi a primeira vez que ganhei algo grande e significativo. Sabe como é, né? irmão caçula herda uma porrada de coisa. Ganhar que é bom... (eu gostei do Super-Nintendo também, Mãe. Caso você leia esse texto ;) ). Foi marcante.

10 anos depois, por algumas circunstâncias infelizes e pela cronologia, lembro de ter adquirido minha independência. Ter cortado o cordão umbilical. Com meu pai, pra sempre. Com minha mãe, com jeito e cuidado. Não somente atingi a maioridade, como a fiz bem, bem longe de casa. Fiquei um ano vivendo entre os aborígenes na Austrália, aprendi como eles sobreviviam se alimentando de leite de avestruz e comendo carne de bode. Oh, wait. Não foi lá, mas foi longe. Enfim. Durante esse ano, aprendi que a roupa não se lava sozinha, aprendi como e porque devo trabalhar, o que fazer e não fazer durante o serviço, independente de onde você trabalha. Aprendi a escolher cerejas e nectarinas doces no mercado, aprendi a conviver politicamente, e que as pessoas são diferentes e não mudam para se adequar a você. Eventualmente mudam para evitar conflitos eternos, mas elas são sempre elas mesmas. Foi o melhor ano da minha vida (até agora).

E mais dez anos depois, cá estamos nós. Mil novecentos e 2009. Esse ano foi bem importante. Aparentemente, nesse ano adquiri minha independência financeira. Isso não quer dizer que esteja ricou ou nada disso. Apenas mostra que após algum tempo, o que você constrói acaba voltando. Então, fico feliz por ter comprado a moto, mais ou menos feliz pelo carro e feliz porque minha empresa com o colega Bruno (que simplesmente desapareceu do Blog!) esteja rumando o caminho certo. Estamos nos desenvolvendo e organizando, e fico muito orgulhoso com essas conquistas. Foi um ano também que percebi mudanças que nunca imaginei reais. Comecei a substituir inconcietemente as pessoas de sempre por novas pessoas, pouco a pouco. Não sou de deixar ninguém para trás, sempre tenho fases. E agora estou numa fase de preguiça de certas coisas que nunca mudam. E que, eventualmente, não me dão tanta preguiça, pressupuesto. Mas eu volto. Ah, se volto.

Somando prós e contras, acredito ter saído deste ano com um superávit de novos amigos, realizações, conquistas e saúde. Creio que tenho contas a acertar que deixo para o próximo ano, momentos a realizar, sonhos a vivenciar. Tenho, esperançosamente, amores a receber, boas notícias a ouvir, músicas a compor, e sorrisos a compartilhar. Tudo, conforme minha profissão explica, acaba se equilibrando no final do ano. Se não, é porque você deve ter errado algum lançamento. Saci-pererê, aqui, não tem vez. (Alceu, Prof.).

Feliz natal (eu não tenho natal!!!), feliz ano novo, muito sucesso a todos vocês! Obrigado por fazerem parte da minha vida.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Highway to Hell

Eu adoro dirigir.

Com algumas ressalvas, como tudo na vida.

Cena 1: você rumando para um destino agradável, guiando um conversível por uma estrada vazia (e sem buracos), em um dia bonito com o pôr-do-sol ao fundo e uma pessoa bacana ao lado, ouvindo Master of Puppets.


Cena 2: você voltando do trabalho em uma terça-feira chuvosa, preso em um congestionamento de 75km na Marginal Tietê, dirigindo seu Pois É sem rádio que está cheirando a cerveja porque algum amigo bêbado virou uma lata no banco, enquanto dezoito vendedores tentam te vender um saco de biscoito de polvilho molhado, e você está apertado para ir ao banheiro imaginando quantos minutos ainda pode agüentar.


É. E ainda existem alguns indivíduos que colaboram para a vida do motorista das grandes cidades (é, estou falando de São Paulo) seja uma bosta por pelo menos uma hora por dia. Identifiquei alguns nas últimas semanas, a saber:

Taxistas: ou estão com muita pressa, ou sem pressa alguma. São mal-educados e nervosinhos. Quando levam um passageiro que não conhece a cidade, fazem caminhos nunca feitos antes na história deste país, para chegar a qualquer destino. Tal como sair de um hotel na Paulista e passar por Carapicuíba para chegar ao Anhembi.




Motoristas de ônibus: geralmente estão com pressa. Geralmente sinalizam quando querem mudar de faixa ou algo parecido. Mas acho que é apenas para se justificar, caso te joguem para fora da via, ou te derrubem (caso você seja um motoqueiro) porque o ato de sinalizar-mudar-de-faixa é praticamente simultâneo. Deu seta, entrou. Foda-se se alguém estiver ali. Passei por isso hoje, na Dutra. Mas como sou uma pessoa equilibrada, não reagi emocionalmente. Só acelerei e entrei na frente do ônibus, olhei pelo retrovisor, fiz um gesto pouco educado para ele, e fiquei andando o mais devagar que podia, que é algo que deixa eles putos. Quando ele tentava ir pra direita, eu o fechava. (lerolero).




Moto-boys: estão sempre com pressa. Não podem parar nunca. Se o semáforo fecha, ele continua se balançando entre os carros, apoiando-se nos carros, na cabeça dos motoristas, ou em seu lugar favorito, os espelhos retrovisores. Instituíram que o espaço entre as faixas é a sua highway. Se qualquer parte do seu veículo estiver ali, eles têm o direito de: (i) chutar (ii) bater com o capacete cor-de-rosa extra que sempre carregam pendurado (iii) bater com o capacete que levam na cabeça. E se você conseguir pará-lo e sair do carro para discutir, outros seiscentos e quinze motoqueiros irão parar também, te cercar, e sem saber o que aconteceu, e soltar alguma das seguintes frases, ou combinações delas:

- Aí maluco, tá tirando?
- Tá de presepada, playboy?
- Viu o Corinthians?
- Vai atropelá o irmão, chefe? Hein?

- Vamo caí pra dentro !

Aconteceu comigo também. Estava na faixa da esquerda da 23, e não fiquei raspando o carro no canto, como todos o fazem. Tsc, tsc, tsc. Nem dez segundos foram necessários para que um filho de uma puta desse um golpe de capoeira (sem cair da moto) que deixou a merda do espelho pendurado pelo cabo, enquanto eu ficava parado no trânsitoe ele seguia pela sua “faixa preferencial”, gritando “Brasil-il-il!”. E o mais legal é você contar isso depois, e as pessoas falarem coisas do tipo: “você não estava no canto da faixa, estava? Deveria estar.”. Ou seja, ele poderia ter desviado, mas como eu não estava espremido, ele tinha o direito de vandalizar meu carro. Enfim. Só quero que ele caia de cabeça qualquer dia. Preferencialmente na minha frente.

Um amigo, Pink (seu nome foi alterado para proteger sua identidade), comprou uma moto e agora diz que os respeita, porque entendeu o que eles passam. Imagino que não deve ser fácil mesmo, mas isso não justifica a maioria de suas atitudes. Eu não os respeito mais (olho-por-olho mode: on). Pronto, falei. Isso inclui você Pink, não cruze meu caminho.



Caminhoneiros: geralmente estão com pressa. Eles também podem fazer a manobra que quiserem, mas sem sinalizar. Deve ser porque ninguém vai querer ver o seu 1.0 de fibra no caminho de uma Scania 113 carregada de cana-de-açúcar, ou algo que o valha. Deveriam permanecer na faixa da direita, mas andam por onde estiver mais livre, a 23 Km/h. Fodem o trânsito. Não, também não é culpa deles. Nem minha.

Pedestres: geralmente estão com pressa. Por isso não esperam o semáforo ficar vermelho para atravessar, correndo.


As Categorias Especiais:

O-motoqueiro-que-quebrou-o-meu-retrovisor: já mencionei que quero que ele morra?




A-velha-que-saiu-da-vaga-sem-sinalizar-fazendo-minha-namorada-desviar-e-bater: deveria estar em casa, costurando. Mas se fizesse uma blusa, certamente teria três buracos para a cabeça, e um para os braços.

Meu pai: o melhor motorista do mundo.




Não-me-olhe-com-essa-cara-que-estou-aprendendo-a-dirigir-agora: tá bom, tá bom. Agora tira seu carro da minha sala que quero terminar de assistir o House em paz.

Meu amigo Manoel (seu nome não foi alterado, para expôr sua identidade) que atropelou um cavalo*:
AAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAA... ai, ai. Mal aê cara, mas precisava contar essa.

* nenhum animal foi ferido durante a edição ou publicação deste texto. O cavalo sobreviveu ao atropelamento, mas não ao segundo, efetuado logo em seguida por uma caminhonete. RIP.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

E Se...



Começou no domingo. Com um pequeno comichão causado por sair de um show fantástico do Idan Raichel Project com meu irmão e minha prima e cair num trânsito inexplicável na Av. Paulista, num domingo às 23:00. Mas já tinha surgido antes. Era algo entre o apocalipse das chuvas, a moto, a relação de águas com os fatos da minha vida, uma vida rotineira e besta e uma falta de perspectiva passageira.

Pensei imediatamente em todas as alternativas. Onde? O que? Por quê? Com quem? Será? Havia antes passado por uma drogaria, semanas atrás. Havia um anúncio que dizia que precisavam de pessoas com segundo grau completo e experiência anterior não era pré-requisito. Aí que tudo começou. Por que não? Eu já fiz algumas coisas bem fora do comum pra ganhar dinheiro. Já fui baby sitter, monitor de crianças, bóia-fria... Por que então estagnar em algo que não dá prazer, mas dá estabilidade? Devo assumir minhas rugas tão cedo?

Vamos pra Manaus? Pra João Pessoa? Pra Jericoacoara? Voltar a Israel? Pro interior de São Paulo, fugir um pouco do caos, mas ter família e amigos acessíveis? Quanto interior? Osasco? Barueri? Lauzane? (sacanear o irmão: Check!) Fiquei pensando nisso. O que mais me interessou na verdade foi entregar panfletos na Croácia. Batata, não poderia dar errado! O problema é que a história afirma que eu começaria nisso e seria o mais feliz entregador de panfletos do mundo todo! Tão bom, que seria promovido, promovido, promovido, até alcançar um cargo cheio de stress, estabilidade, ganância, desânimo... E depois o que? Voltar ao Brasil, procurar um lugar ao sol na farmácia? Por que não consigo ser feliz com pouco? Sou só eu?

Pensei depois em voltar a estudar. Terminar alguma universidade, ainda que não fosse aprender muito. Em dois anos me formo contador. Mas já tenho as ferramentas, esse diploma serviria de que? Ah, mas os amigos, networking, morcegos e afins. *Suspiro*. Não sou preguiçoso, quando estudo, estudo mesmo. Tiro notas excelentes e sou aluno exemplo. Por que sento lá atrás, freqüento o bar religiosamente, mas entrego os trabalhos em dia e me dou bem na prova. Passo cola, ajudo meus amigos e eventualmente começo a atuar nos movimentos estudantis. Se estivesse num filme jovem americano seria um dos intermediários entre os quarterbacks e os do clube de xadrez. Aqueles que não serão protagonistas de nenhum outro “não-besterol” americano.

Viu? A gente chega perto dos 30 anos e começa a pirar com a falta de tempo. Mesmo não fazendo a menor diferença pensar nisso agora ou daqui a 20 anos, com filhos, esposa, casa pra cuidar, cachorros pra passear e outras porcarias que a rotina nos traz. A vontade é radicalizar mesmo, dar um tiro no passado e reiniciar a vida. Costuma funcionar um bocado com o Windows, pode funcionar com a vida também. Não? Difícil dizer. Não, não é difícil dizer. Difícil é efetivamente fazer isso.

A única coisa que eu não queria mesmo, era daqui a 20 anos passar a mão na cabeça dos meus filhos, passear com meus cachorros, beijar minha esposa e ir trabalhar bufando, pensando na pergunta da qual eu mais tenho fugido nos últimos 10 anos: Mas e se...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

E o Chinelo? Onde Está o Chinelo?


Boa tarde, caros leitores e leitoras.

Peço que tomem um pequeno tempo para dar uma olhada nesse videozinho aqui, ó: ESSE VIDEO AQUI.

Não sei por qual motivo exatamente lembrei desse comercial há pouco, mas eu gosto bastante dele. Primeiro porque ele não diz nada sobre o produto que tenta vender. E eu odeio propagandas 1406 look-a-like, que demonstram milhões de vantagens que nunca parecem ser vantagem alguma. Algo como : "Veja, e se você posicionar o produto a exatos 38,9º da hipotenusa do triângulo do sol lunar, o eclipse pode ser visto sem o auxílio de um raixo-X. Fantástico!". Né? É, foi o que pensei.

Mas gosto mesmo é do texto do video. O narrador poderia ser menos macabro, mas a mensagem é ótima: Por que? O que você ganha com isso? Qual é o seu problema, seu demente, não vê que está chovendo? Onde você pensa que vai chegar, correndo aí parado na esteira? Bom, eu, como sabem, não sou muito de fazer exercícios. O que sim, eu faço algumas outras coisas que aparentemente não fazem sentido algum.

Por que você gastou 486 amendomangos para gravar um CD profissional se você não quer nada disso da vida? Por que vocês não fazem show? Para que perder tempo em ensaios se não vai ficar famoso? Por que você não volta a tocar Lá na Roça? Por que não se empenha, divulga, faz tudo o que tem que fazer, se joga de cabeça nisso? Por que você tem 02 veículos? Pra que moto? Se não há contratos, público, tietes...

Por que se empenhar em fazer um trabalho o mais perfeito possível se ninguém dá atenção? Ninguém dá a mínima para o que quer que eu faça, então porque não faço de qualquer jeito e foda-se? E aí, não dá pra desviar? Por que as pessoas desconfiam de todos que administram o dinheiro? Porque a humanidade está perdida ou porque com grandes poderes vêm grandes responsabilidades? (uncle Ben detected!).

De verdade? Não sei responder nem 5% dessas questões todas. Provavelmente eu só vou vivendo e andando, por rotina, por prazer, por impulso, porque sim (Porque sim, não é resposta! Que fase, hein Tas?), porque me mandaram. Eu não me importo. Eu sigo fazendo ou não fazendo, odiando antes de conhecer, rejeitando o que parece rejeitável, e curtindo e montando o que merece ser cultivado. Mas, assim como o velho Johnny, eu sigo caminhando. Sem bengala, que isso é elemento fálico e coisa de gente velha e safada. Ando em passos lerdos, não estou com pressa. Mas não estou parado. É que não sei mesmo pra onde mesmo que vou, mas vou até o fim! (Buarque, Chico).

No mais, chove lá fora e aqui... aqui não. E hoje eu não estou de moto! CHUPA SÃO PEDRO!!! Vamo Corinthians!!! Rumo à Cloaca! (só pra quem viu ou vai ver!). My best regards, e vão achar seus próprios chinelos! Bacios!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O Acaso


Hoje o dia não foi lá essas coisas. Valendo-se do fato que o dia começa a meia-noite, estava com uma crise de quase gripe e só consegui dormir de fato perto das 2:30. Mas acordei antes do despertador, sinal dos narizes, corizas, etc.

Antes de sair recebi uma ligação que sozinha já acabaria com meu humor. Da concessionária, sobre o carro que deixei pra orçamento.

- Alo? Sr. Yellow?
- Pois não?
- Aqui é Azdrubal, tudo bem? Já temos o orçamento.
- Ótimo!
- Melhor sentar.
- É?
- Ô.
- Ok, estou sentado. (mentira, eu nao estava! Rá!)
- O valor é $$$$$$$$$$$$.
- (sentando). WHAAAAAAAAAAAT??????!!!!!
- ......
- Posso ligar mais tarde? Tenho que marcar um cardiologista de emergência.
- Claro, ficaremos no aguardo.

Aí, pesquisei as janelas, sol com poucas nuvens. Pancadas de chuva estavam previstas. Eu deveria saber que começaria às 18. É claro. Enfim, vim de moto. Cheguei, fumei 20 cigarros. Subi, preparei uma coisa ou outra. Desci, tentei chegar a alguma conclusão. O que fazer? O que não fazer? Depois decidi fazer algo lógico, mas minha seguradora não concorda em me dar um auxilio de vez em quando. Entao, peguei um taxi, fui à loja, tirei meu carro de lá. E pra ligar? Na décima tentativa ele ligou! Desespero total! Deixei no primeiro muquifo que tinha referências lá por perto mesmo.

- Opa.
- (de mau-humor). Qual o problema?
- Tem que trocar o cabeçote.

Pronto, ele e seu colega ficaram putos. Mecânicos idiotas. Ficaram me dando bronca, e com preguiça de fazer o serviço. Aí eu cheguei ao meu limite.

- NÃO QUERO SABER QUE CARALHO VOCÊS VÃO FAZER OU DEIXAR DE FAZER! EU TENHO UM CARRO QUEBRADO, VOCÊS CONCERTAM CARROS QUEBRADOS. É SÓ NÃO ME COBRAR $$$$$$$$$ IGUAL AOS OUTROS RIDÍCULOS SEM-FAMÍLIA E EU FAÇO. PODEMOS IR COMEÇANDO?

Eles foram para um lado, eu para o outro. Fumar na rua. Depois me chamaram. E ficaram me ameaçando com preços e isso e aquilo e que poderia demorar. Falei que eles poderiam ficar com o carro por um ano. Contanto que ele andasse depois. Me deram um cartão, anotaram meus telefones. E me fui. De ônibus, de volta ao trabalho. Puto. Muito puto.

Chegando aqui, as coisas estão se atrasando. Chegando ao dead-line de várias coisas, e ainda nada se resolve (Joana come a Papa detected!). Mencionei que estava irritado? 17:30 começou a chover. Fraquinho. Parou. 18:00 começa uma chuva dos infernos. E vocês lembram da parte que eu estou de moto, certo? E gripado, vocês lembram? Vocês leram alguma parte em que eu tenha almoçado hoje? Não? Talvez por isso esteja com tanta fome. E a chuva não passa. E eu fico por aqui. Esperando vagar horário para recolher assinaturas. Se ao menos eu ganhasse hora extra...

Mas é isso. Tem dias que a noite é foda. Coisas teoricamente não interligadas costumam acontecer ao mesmo tempo mesmo, ou somos nós que relacionamos tudo de ruim em um dia quando já estamos nervosos ao extremo? Seria essa uma questão de Tostines? Eu não sei. A única coisa que eu sei é que estou com fome. Com frio. Com coriza. Com raiva. E amanhã o cara me liga, dizendo quanto vai sair essa brincadeira. E o fará rindo, isso é fato. Da minha parte, eu digo uma coisa: quando seus consultores te mandarem aplicar seu dinheiro num fundo fixo, atenda cegamente. Carro é legal. É bonito. É afrodisíaco. Mas é muita dor de cabeça. E de dores de cabeça já estou cheio, conforme o texto abaixo. Alguém me tira daqui!!!!!!!!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Not Lupus!





Já dizia o proficiente e mágico Dr. Gregory House, que nunca é lúpus. Lúpus, como me explicou meu veterinário particular, é uma doença ardilosa, pois ela se manifesta em forma de diversas outras doenças. Isso torna o diagnóstico incrivelmente difícil. E também por isso, é sempre lembrado nos diagnósticos diferenciais: pode não ser lúpus de fato, mas na teoria pode, sempre pode.

Lupus é uma doença auto-imune. Agora, vejam vocês: após assistirmos (twice!) a todos os episódios de House M.D., aprendemos uma porção de coisas sobre a Medicina moderna. Doenças auto-imunes, que são tratadas com esteróides, acontecem quando nossos leucócitos "go wild!". Ao invés de proteger o corpo de bactérias e outros invasores, ele se volta para atacar células saudáveis do nosso próprio corpo!! Wow!! Legaaaaaaal, meu ! Led Zeppelin!!! Bem, definições a parte....

Cheguei a conclusão nesse fim de semana que minha cabeça quer independência do meu corpo. Ela age planejadamente para acabar com minha vida social. Minha cabeça é meu próprio lúpus social!! Todos conhecem a história dos órgãos, quem manda é o cu, dizem as más línguas e e-mails de piadinhas mal-intencionadas. Contudo, minha cabeça aparentemente manda em todo mundo aqui. É o Capitão Nascimento da rapaziada.

Sabe como dizem, a primeira vez a gente nunca esquece. Assim que, há cerca de 20 anos atrás (ouch!), foi quando lembro de ter tido a minha primeira crise de enxaqueca. E, naquele instante, a droga da minha cabeça (Jaime Palilo Detected) já mostrara a que veio: a maldição da enxaqueca foi instituída. Lia-se nos papiros antigos que se revelaram a mim:

"Ah, moleque. Chegou a enxaqueca. É assim: sua cabeça doerá para sempre. Eventualmente você não sentirá dores, mas quando mais precisar estar livre de dor: Mwahahahahahahahahaha".

A primeira vez foi num aniversário. Era no Wet and Wild. Long time ago. Tinha certeza que eu ia morrer. Imagina? Aquela dor toda numa cabecinha de 9,10 anos? Fora as náuseas, suar frio...

Mas houveram outras vezes clássicas. Não dá pra esquecer aquele festival que culminaria com o show do Scorpions. Antes, Shaman, Evanescence. O dia? Yom Kipur, o dia do juízo. É óbvio que dessa vez o castigo veio de cima: da minha cabeça é lógico (rá, Morris, achou que eu ia me entregar, né?). Eu deveria estar jejuando e em penitência pelos meus pecados. Mas resolvi desfrutar de um show. No lugar, abafado demais, muito calor, não havia água pra vender ou comida ou sorvete... nada. Passei um bocado mal. Mesmo!

Acontece bastante: churras? batata! No fim do dia lá estarei eu com cara de cu, soando frio, náuseas, dor de cabeça de matar... 400 neosaldinas... e bola pra frente.

Mas, senhora cabeça: esse sábado foi uma tremenda sacanagem, hein? Eu tinha o dia planejado, seria fantástico! Tríade: ensaio-churras-balada. Saindo do ensaio, uma dor de cabeça ensaiava aparecer. Chegando no churras, já atrasado, dor autêntica. A maior brexa, já que estava toda a turma do colégio expandida com os apêndices adquiridos no pós-colégio. Bem legal. Mas, passei 1 hora lá e resolvi ir pra casa me tratar, porque a balada começaria tarde e daria tempo! Assim curtiria decentemente pelo menos alguma das propostas ótimas daquele dia. Aquelas né? Cheguei em casa soando frio, dor de cabeça. Remédio, sofá-da-sala, ventilador na cara... 20:00. Acordei (por e com dor) as 22:00. Mas sem náuseas (hooray!). Mais remédio. Acordei (por e com dor) às 23:50. Telefone começa a tocar. Eu insisto que estou lutando contra uma enxaqueca, mas ninguém acredita em mim. Mantenho a fé! Como alguma coisa (vai q é fome, né?). Relógio vai. Sono não vem. Dor não passa. Ás 1:30 me rendo a dor. Não vou pra balada. Dormir? Nem pensar! Assisto Altas Horas do começo ao fim (belo programa!). Fazendo as contas, concluo às 5 da manhã que já passou uma cara e tudo bem tomar outro remédio. 5:30 eu durmo. Saldo do dia? FAIL!!!!

Bom, é isso. Eu vou me vingar. Vou tomar 7 litros de vodka nacional sem gelo pra fritar com minha cabeça de vez, pra ver se ela se toca que quem manda sou eu. Enquanto digo isso, ela ri satisfeita. Droga, droga de cabeça!!! (Palilo, Jaime).

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Bad, bad imagination... no Donuts for you!


Ai eu comecei a juntar o que eu ouço e ouço... vamos ver no que dá? :)


You´re asking me will my love grow? I dont know... I don´t know...

You stick around now it may show...

I don´t know... I.. don´t know...

I don't know why nobody told you how to unfold your love... :(

Don't let the days go by.... Could've been easier on you!
I... couldn't change, though I wanted to .
It should have been easier by three: our old friend fear, and you and me...

Meet me in outer space... I will hold you close! If you're afraid of heights, I need you to see this place! It might be the only way that I can show you how it feels to be inside of you...

Well that sounds fine so I'll see you sunshine! Give my love to the "future of the humankind" Okay, okay, it's not okay.... : s

And oh if you stay I'll chase the rain blown fears away! We'll shine like the morning, and sin in the sun! Oh, if you stay... We'll be the wild ones, running with the dogs... today...

You say you got a real solution.... Well, you know... You'd better free your mind instead! Don´t you know it´s gonna be alright!?

Have I still got you, to cross my bridge in this storm? Have I still got you to... keep me warm? :(

Antes de te ter e de ser teu, o que eu queria, o que eu fazia, o que mais? Que alguma coisa a gente tem que amar, mas o quê? Não sei mais...

Oh, darling, If you leave me, I'll never make it alone. Believe me when I beg you, don't ever leave me alone!

Até parece loucura, não sei explicar. É a verdade mais pura! Eu... não consigo amar...

Insensível!

I remember the look in your eyes... the way that they pulled me inside! All I've got now in my defense, is my innocence: I've been hypnotised!

You don't care about how I feel,I don't feel it anymore! But you were the one for me, and now you're going through the door. When you take that step I love you baby more and more! We need to laugh and sing and cry and warm each other's hearts tonight,....

Believe... believe in me? Believe.... Believe that life can change, that you’re not stuck in vain!We’re not the same, we’re different! Tonight... so bright!

I would rather hurt myself, than to ever make you cry! There's nothing left to try... Though it's gonna hurt us both, there's no other way than to say.... goodbye.

Goodbye.


Bibliografia:


Damien Rice - Grey Room; Los Hermanos - Condicional; Bush - Glycerine; The Beatles - Something / Revolution / While My Guitar Gently Weeps / Oh Darling; Incubus - Stellar; Spacehog - In The Meantime; Suede - The Wild Ones; Titãs - Insensível; Simple Minds - Hypnotised; System of a Down - ATWA; Serj Tankian - Saving Us; Smashing Pumpkins - Tonight, Tonight; Air Supply - Goodbye

domingo, 8 de novembro de 2009

Mssing


Essa da foto é a DEMI MOORE! BANGUELA!!!!!!!!! IGUAL ESSE TEXTO.

Meu teclado de casa anda cm ma mania terrvel de comer letrasa trto e adireita, o que prejudica devras minh escrita dinamic, profuna, intensa e rapida.

A irritação que isso me proporcion me fari invadir anormandia, caso eu fosse algum imperador doio de outrora. Mas.. nem tudo está perdido. Sempre haverá amanhã. De uma forma ou e outra, arranjarei tempo para escrever o ue estava n miha mente quando sentei e comecei a dslacharpnsamenos inoerentes e desconexos à frente da minha tela.

Torturante. ao vu assar o corretor *, porqe e teria u reescrever apenas para corrigir um texto que reflete simplesmene minh frustração. E não ea a respieto dsso que iri escrever hoje: a idéia era escrever polissílabas intermináeis, para, cientificamente, saer como ana minha linha de raciocínio evocabulário.

Fica pra próxia, né?

Alias: nova revisao de chegada no brasileiro: campeao? Flamengo! E Ronaldo: car.. que gol bacaa, hen? "Sacanage", conforme dise o mago os esportes, Neto.


* hahahahaha assar o corretor??? Esplêndida idéia!! Passar,menos aind.

sábado, 7 de novembro de 2009

Who's the pop now?

Apesar de ser clara a diferença entre as técnicas de aplicação dos golpes, tanto na ficção quanto na realidade, especialistas ainda se dividem entre os que acreditam ter sido um legítimo Hadouken e os que apostam a própria reputação afirmando se tratar de um fabuloso Kamehameha mal aplicado.




Assista e tire suas próprias conclusões:


Hadouken


Kamehameha








Veja aqui a versão completa.

O que não se discute é que ainda tem que comer muito arroz e feijão pra dominar os incríveis poderes e técnica de seu sensei, o grande Mestre Goku. Confira aqui.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sob Nova Direção

Buteco de Segunda. Agora, versão charutaria e clube do Whisky.

Porque se ao falar merda estiveres portando um cubano, as risadas hipócritas são respeitadas e degustadas com louvor. Nada que um título universitário não resolva. Não que eu o tenha, mas...

Ora, quem liga.

Se não gostarem, me avisem. Estou mais aberto a tentar agradar a vocês por hora.

Com votos de prosperidade e de sorte,

The Captain.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Síncopes

Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha

Aconteceu de novo! Meu texto sumiu!!!

Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Hahahahahahahahahahahahahahahahaha

domingo, 25 de outubro de 2009

O CARA!








Superdiver10, galerinha!



quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A Velha a Afiar

Entraram na sala, estupefatos com o que acabava de ocorrer. Não havia mais nada a ser feito, a não ser tentar sorrir depois de tanta desgraça. Edilene (a nora) tentava acudir e acalmar Rodolfo (o filho), mas nada seria como antes a partir de que... bem, vocês sabem.

- Astolfo, como é que chegamos aqui?
- ...
- Digo, nesse fim de mundo, nesse túnel após a luz, nesse barco furado, nesse chove-não-molha, nessa água-que-passarinho-não-bebe, nessa...
- CHEGA!
- (emoticon triste com lágrimas)
- Foi assim que chegamos assim! Não consigo aturar tanto clichê, tanto lugar comum, tanta carne de vaca, tanto mimimi para qualquer frase!!! Foram 62 (sessenta e dois) anos! Cansei.
- Mas... mas... mas...
- Grunft
- Mas por que não me disse isso antes? Não seja tolo! Já somos velhos demais para recomeçar.
- Você é velha demais para qualquer coisa! (IIIIIIIIIIIIIIII!!! Vai deixa? Vai deixa???)
- Não acredito que você ousa falar assim de mim... e para mim!!!
- Pois acredite! Eu quero divórcio! - e saiu batendo o pé, vitorioso.

Adelaide fingiu desmaio, mas abriu os olhos alguns segundos depois. Astolfo não estava lá. Não chamou os paramédicos, não mostrou arrependimento. Andava com passos firmes, estufava o peito. Tossia um pouco também, 84 anos não é para qualquer um. "Libertas Quae Sera Tamen", anunciava o mineiro Astolfo. Adelaide, por sua vez, percebeu que só havia uma coisa a fazer: chorar compulsivamente até que as lágrimas de todo o mundo se acabassem.

Astolfo, que não era velho demais, sacou seu I-pod de 80 giga e entupiu os ouvidos com a melhor da Bossa Nova (também não era novo demais ao ponto de curtir um pop), e pensava maliciosamente "que la lloren!", parafraseando o anão Maradona.

As lágrimas se acabaram. A tristeza e angústia saíram de cena. Após 85 anos de vida, nunca havia experimentado tamanha vontade de carne. Humana. Adelaide já não era mais apenas uma senhora com seus lugares comuns. Era um monstro obsessivo-compulsivo: o objetivo? Astolfo.

Caminhou com passos firmes até o marido. A serenidade de Astolfo ouvindo aquele..aquele.. "badulaque de meia pataca" - nome científico do Ipod, segundo Adelaide - era um afronte insuportável.

- É hoje que a vaca tosse, meu velho!
- ..... (balançando a cabeça ao som de João Gilberto).
- ASTOOOOOOOOOOOOOOLFO!!!!! (emoticon com sangue nos olhos)
- *plopt* Hein?
- Me dê um bom motivo para não te matar agora! - ameaçava Adelaide, enquanto afiava uma faquinha de rocambole.
- HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Adelaide atacou logo a jugular de Astolfo com aquela pequena faca plástica. Astolfo não conseguia parar de rir. Riu tanto, mas tanto... que perdeu o ar. Morreu. De rir.

Quando a polícia chegou, encontraram Adelaide olhando para o vazio, tentando desesperadamente cortar sua própria jugular com aquela faquinha. Inutilemente, é claro. Pois não tinha a menor graça. Rodolfo chorava.

domingo, 20 de setembro de 2009

Blog com Si maior

Comecei naquele domingo estranho. Frio e solitário, um pouco desgostoso para algumas almas. Merecia um toque de normalidade e, gosto de acreditar, foi por isso que o Blog me chamou. Pra que eu inserisse algo de blog nele. Alguma informação inútil é sempre útil pra parte fútil do nosso cérebro. Voces estão prontas crianças???

Hoje vamos falar de seriados de televisão!!!

http://2.bp.blogspot.com/_5tUXzFA93qA/SHo6C16Ox4I/AAAAAAAAAqw/B56WWtXN1Fs/s400/aplausos.jpg

É, pelo visto é um assunto que agrada a todos... e como voces sabem os seriados de TV já não são exclusivos da TV, eles agora são seriados da internet, do celular, do DVD, da moda, dos bons e dos maus costumes.

Antes do nosso pequeno mergulho nessa fascinante piscina de entretenimento fácil e grudento que é a indústria de seriados americana, vamos entender como ela funciona e como evoluiu até o ponto de disputar espaço na nossa cabeça, pode ser?

http://1.bp.blogspot.com/_TEQ6i8bmgu0/SmHAu8PCQII/AAAAAAAABEY/FAXsxIOhidU/s400/BEBE_BRAVO%5B1%5D.jpg

Desamarra a tromba e olha o aviãozinho!!!

Pronto, agora que voce já é um sabichão em matéria de seriado, vamos às últimas produções mais interessantes que consegui encontrar:

...


Eu ia começar agora, mas fiquei em dúvida se não era melhor fazer um top 10, começando do último, dando um suspense e tal... ou em ordem alfabética ou de importância na minha vida presente... acho que vou no esquema regressivo... então vamos lá:

10 - ...

Não dá. Eu tenho mais que 10. Vai no aleatório:

LOST - Dispensa apresentações formais, mas vale uma breve lembrança. Avião cai numa ilha deserta, vários sobreviventes, monstros, ursos polares, escotilhas, numeros, flashbacks de todos os personagens, nativos, referencias bibliograficas espalhadas a torto e a direito no seriado inteiro, tiros, bizarrices e viagens no tempo. Ah, esqueci de avisar, este texto continha spoiler - jargão usado para descrever informações reais ou boatos divulgados antes do episódio, "estragador" em tradução livre.

Num total de 6 temporadas - a 6º começa em janeiro de 2010 - os episódios podem ser baixados em diversas fontes na internet, normalmente em avi ou rmvb legendado. Outra opção é assistir via streaming ao vivo, mas sem legendas. Melhor fonte de informações sobre o assunto, na minha opinião é o Dude We Are Lost. Adoro Lost.

http://screenrant.com/wp-content/uploads/dexter-season-3b.jpg

DEXTER - Baseado no livro Darkly Dreaming Dexter, o seriado conta a história com narrativa em primeira pessoa - quando ele pensa, a gente ouve. Envolvente e moralmente questionável. Muito sangue e com ótimas pitadas de humor negro. Em resumo, serial killer que trabalha como analista forense (especialista em sangue) do setor de hoicídios numa DP de Miami. Mata porque precisa matar, então tenta direcionar o ímpeto para matar só assassinos comprovados. Leva vida dupla e ninguém conhece seu segredo. Aprendeu com o pai adotivo a nunca ser pego. Outra preferida minha, agora em setembro inicia a 4a temporada. Episódios no orkut. Se vira.


http://images.quebarato.com.br/photos/big/C/9/1F31C9_4.jpg

HOUSE M.D.- Outra pérola do universo dos seriados. Dr. House é um excêntrico chefe do Depto de Diagnósticos do Hospital de Princeton. Genial, engraçado, estúpido, egoísta, egocêntrico, solitário e manco, ele trata dos casos por curiosidade e pela vitória. Agindo como um adolescente irritante, Dr. House já encerrou 5 temporadas na Fox. A sexta temporada, pra alegria dos idiotas miseráveis viciados em seriados, começou agora em setembro. Tudo no orkut. Se vira de novo (tá, é a última vez que eu falo... comunidade Series Load resolve isso pra voce).

Cansei. Agora vai na pauleira:

4400 - Um monte de gente some misteriosamente durante o sec. XX. Em 2003 ou 2004 volta todo mundo numa bola de luz do jeitinho que tava na hora que sumiu. 4400 é o numero de pessoas. Só no orkut. Tem 4 temporadas e já foi cancelada. To no começo da 3a e já to entendendo porque.

Psychoville - minisérie inglesa de humor negro. Tem um velho cego maluco, um palhaço maneta, um ator anão com poderes psíquicos, uma mulher que... Tá. Deixa pra lá. É muito bom. Tem sacadas ótimas e referências interessantes (um dos episódios é baseado no Festim Diabólico, do Hitchkock). Recomendo. E são só 7 episódios! Mesmo que voce não goste, não vai durar o suficiente pra gerar um trauma (não é assim, Dr.?)...

Sons of Anarchy - Sei lá que diabos essa merda tentou me mostrar mas não consegui ver mais da metade do 1º episódio. Acho que o Bruno vai gostar. Tem uns caras de moto que mandam numa cidadezinha nos EUA. É pura anarquia! Começou a 2a Temporada agorinha. Não quero saber mais nada desses caras.

Life on Mars - Policial sofre acidente hoje e acorda em 1973. Enquanto ele tenta entender o que está acontecendo ele precisa trabalhar como policial no mesmo departamento que trabalhava no presente. Mas as coisas mudaram muito. Tem só 18 episódios. Uma pena, eu até que tô gostando. Tem versão americana e inglesa. Essa última veio primeiro.

Better off Ted - Seriadinho engraçadinho sobre uma megaempresa que pode fazer tudo e qualquer coisa. Mesmo. Qualquer coisa. Aço comestível, abóboras explosivas, botas antigravidade, cadeiras mais confortáveis, tudo. Ted é um dos executivos da empresa (que ele adora). O problema é que o humor do seriado converge pras relações de trabalho entre os personagens, deixando um potencial enorme de lado, como auxiliar. Vale a pena testar. Os episódios tem cerca de 20 a 30 minutos cada. A 1a temporada terminou há pouco com 12 episódios.

Chuck - É um pouco injusto eu falar mal de Chuck. Eu gostei mas não consegui mais baixar, então parei de ver. Chuck trabalha em uma loja de eletronicos e teve o computador central ultrasecreto da CIA e da CSN baixado em seu cérebro. Os dados originais foram destruídos e ele vive acompanhado de 2 agentes (um de cada agencia) para proteção. Não dele, dos dados. Não sei onde está, mas sei que tem temporada nova começando.

http://assets.nydailynews.com/img/2007/12/11/alg_penguins.jpg

Ainda tem outros: Pinguins de Madagascar, Big Bang Theory, Defying Gravity, Leverage, etc. Mas agora eu cansei (twice!!!) e continuo depois... conhecendo-me como conheço-me (pouco, mas suficiente) se eu não postar isso agora, talvez nunca poste mais (Charlie Brown Jr.?). Isso aconteceu com outras 3 ou 4 postagens, que o Deus dos blogs os tenha... lido.

Viu só? Coisas de blog pra voces!
http://3.bp.blogspot.com/_IE1WfFXxv7s/SDmG95EcUeI/AAAAAAAAAHo/gwz30SyqjD0/s400/aplausos1.jpg
Querem mais coisas de blog? Só quando (se) eu chegar em casa hoje. Não querem? Preferem mastigar vidro e beber álcool na sequencia? Seria melhor ter os olhos e orelhas perfurados com um extrator de grampos? Pense bem. Pois um dia vamos nos encontrar. E eu gostaria muito de te chamar de...

(continua)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Nova Luz



Nasceu a nenê do Bruno!!!! :):):):):)

Ana Sofia: Brilha muito nesse mundo doido!!!

Parabensssssssssss!!!!!!!!!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Concurso Cultural

Queridos postantes e visitantes:

No dia 22 completaremos 1 ano de existência desta bodega.

Alguma idéia? Comentem!


Att


A Direção.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Nunca, Nunca Chega...



Hoje acordei, durmi, acordei de novo e durmi infitas vezes quantas foram possíveis. Até que já passei da fase do enrolar por prazer, para o enrolar por desafio. "I fought the law, and the law won...". Aí eu levantei mesmo, não teve jeito.

Saí da cama com aquela cara torta que todos saem (é, você também. Sério, sério...) dei aquela espiadinha sacana pelas cortinas para saber o que o tempo me reservava. Levemente nublado, sem grandes indícios de chuva. Se bem que, depois de teça-feira, com um indício e mais R$ 2,30 você chega ao centro de ônibus. Mas enfim, já decidi que sairia de moto.

Comi qualquer coisa, escovei os dentes. Falando em indícios, desde ontem ando tendo alguns de que irei ficar gripado em breve. Se não começar a espirrar feito um doido, provavelmente é a gripe espanhola reinventada em forma de porquinhos. Ah, essa minha vida viu?! Enfim, troquei de roupa, pensei no que o resto do dia me reservaria...

Aí aquela coisa toda, um "ôpa" dos mais sinceros pra rapaziada do estacionamento, a bordo da bordosa, e vamos lá. Sabem como se diz por aí, né? Sorte no trânsito, azar no destino. Poderia estar indo ao clube de golfe, mas fui parar naquele mesmo escritório de 9 anos atrás. E ele estava lá de pé, novamente. Sempre que estou chegando uma parte pequena porém persistente torce para que tenha-se demolido, ou algo que o valha. Mas não. Lá estava ele, firme, forte, austero e garboso. Primeiro cigarro do dia, mas alguns bom dias no piloto automático. Bola pra frente, se está no oceano se vire com plânctos. Em São Paulo, escritórios.

Aí eu olhei praquela coisa toda. E já não é de hoje que me bateu uma baita duma preguiça. (Aquela preguiça da Ana, não essa outra que vocês estão pensando, de gente carangueijinha). Aí eu fui, dei uma arrumada nos papéis, uns 300 mil cafés. E aí me deu uma vontade doida de sair por aí. Foi quando constatei que uma mudança conceitual apareceu na minha vida.

Sabem vocês, caros leitores, que eu penso um bocado. Penso muito!!! Quantitativamente e qualitativamente. Eu respondo grande parte das coisas na bucha, porque provavelmente já pensei naquilo. Quando ocorre de me perguntarem algo e eu não ter pensado sobre, eu respondo um seco, humilde e com sangue nos olhos "não sei.". Lembraram? Repararam nisso aí? É. Mas não é? Reserve.

Outra verdade irritante sobre mim, é minha falta de memória. E juro! É verdade, eu não lembro. E não tem a ver com álcool, e sim o que apelidei junto ao Sr. Morris de "arquivos temporários" que atrapalham outras memórias. Então, eu não lembro de nomes, de rostos, de o que eu fiz ou deixei de fazer em determinada hora... sóbrio ou não. Sobrecarga de espaço, preciso de um HD maior. Ou mais memória, não estou muito certo. (Não lembro!!).

O parágrafo anterior só fará sentido a partir de agora. Tem aquela uma coisa que eu me lembro. Lembro tão bem que incomoda. Não sei se é bom ou ruim, mas a real é que ainda mexe demais comigo, embora o tempo tenha passado. Então, nessa semana, sem nenhum motivo aparente, estava sozinho em casa, fui fumar um cigarro lá fora. Olhei pro céu como de costume, mandei um "boa noite" no automático, mas dessa vez me responderam. E foi um baita soco no estômago. Sabe aquela hora do filme em que tudo se resolve? Que várias cenas aparecem em flashes, rápidos e desconexos, com tempo passado e futuro tudo misturado? Pois é. Veio esse gancho de direita pra cima de mim, e precisei me segurar no parapeito pra não cair em nocaute. Tristeza instantânea...

Aí eu deitei na cama, e não me permiti cair em lágrimas, porque meu cérebro não consegue ver sentido em chorar por chorar. Então fiquei com os olhos úmidos. O coração apertado. Peguei o violão pra dividir comigo a tristeza. Não creio que por acaso, já que é um dos laços mais fortes que nos une até hoje. Depois lembrei de uma música, de uma banda que ele gostava também. Justo esse CD é cheio de dedicatórias, mas essas trazem lembranças doces. :) Aí, estava ouvindo algumas outras canções do CD, antes de chegar naquela uma que eu queria ouvir.

Aí a música chegou. E eu me segurei. Velho, foi foda. Eis o link, já é triste sozinha. Se ouvida num momento como esses, tem que ser forte. Pra burro. E eu sou.

Desde que entendi que o Someday Never Comes, resolvi parar de pensar tanto. Quanto mais eu penso, eu crio mais verdades cheias de embasamentos. E eu não quero mais saber das minhas verdades. Quero me provar errado, de forma empírica. "For there are many things, I don´t know". Por mais que sangre.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

99 anos, Brilhando Muito!!!!



Parabéns Sport Club Corinthians Paulista!!!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Shoryuken







Para os pobre-coitados sem familia que nunca tiveram infância, Shoriuken é o melhor soquinho no queixo de todos os tempos. Extremamente eficiente, e de uma qualidade nominal intensamente destruidora. SHORIÚ-KEN!

Mas não vamos falar de video-games, porque além disso ser coisa de pivets, ainda é nerd e desqualificado. Não combina com o conteúdo pragmático e destorcido desse respeitável Blog. Vamos nos ater à técnica milenar do soquinho no queixo. Sempre seguido de uma frase de apoio, que pode variar entre "Booa, garotão!", "Agooooora sim!" ou "E da próxima vez arranco esse bigode a tapa (oh, wait!)". Bom, vocês entenderam, certo?

Então, você desconfia que ninguém nunca vai precisar de um apoio destes, certo? Certamente falta na sua vida o grande guru do soquinho no queixo, que é capaz de salvar um emo do suicídio eminente apenas dando um pequeno soco, e algumas palavras de apoio. Não se trata de uma técnica fácil, porque o conteúdo da frase que segue o soco, invariavelmente é a diferença de uma risada e um jab de esquerda que vai te deixar no chão.

Cabe a você, dedicado amigo, saber estabelecer o vínculo primário que serve como um consolo para um determinado momento. É mais ou menos como os elefantes do circo, nem sempre querem amendoim. As vezes eles só estão com saudades de casa. Se souberes diferenciar isso daquilo, serás o domador perfeito. Terás o animal em suas mãos.

É isso, classe. Hoje aprendemos que Street Fighter II é o jogo mais legal de todos os tempos. E põe Mortal Kombat (esse lixo) beeeem lá embaixo. Atrás do Tetris.

Warning: A falta de inspiração e assunto acabará por nos acometer em abismos de espaço e tempo, "buracos de minhoca" nos termos quânticos. Hare Baba! Ah, se a juventude soubesse, e se a velhice pudesse... Ah, quem me dera ser um peixe. "Será, que será que será que será, será que essa minha estúpida retórica, terá que soar terá que se ouvir por mais zil anos? " .

Amigos, vamos migrar para o twiter. Não dá pra ir contra a corrente. Vamos dar adeus ao nosso companheiro. Vamos fechá-lo, lacrá-lo e cimentar a porta, pela vigilância sanitária.

*SHORIU-KEN!* - Hey filhão! Cala a boca, e se inspira pro mês que vem!
- Voche quebrou todosh meus dentesh :@
- Oh, wait! :

terça-feira, 25 de agosto de 2009

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Migração


E o Pica-Pau migrou para o Sul novamente, garboso e jubiloso.

E o Porquinho? Não foi bem recebido em Curitiba... culpa do Marcelinho Paraíba!!!

Paraíba?

Bom, agora é a minha hora de migrar. Jampa, here we go!

E um abraço para o Bruno (não você, o goleiro).

sábado, 15 de agosto de 2009

See The World




(suspiro).

Lá vamos nós. Mais um sábado comum, tomando uma breja, ouvindo uma boa música, e eu vim parar na frente de um computador com uma tela E-N-O-R-M-E!!! E eu, no egocentrismo exacerbado de conhecimento geral, não podia deixar de querer escrever mais um clássico da literatura descartável dos blogs desse Brasil (Brasil -il-il-il). Aí resolvi escrever sobre isso, que vem me incomodando há tempos.

Vamos falar sobre minha unha encravada. Eu ía falar, mas acabo de encontrar com o lendário Unoversi aqui. E ele insiste em dizer que isso acaba de acontecer agora neste minuto, um fato, um fato atual!!! E estamos tomando a cerveja que o Leandro trouxe aqui!! Puxa, é o post mais democrático desde a queda da bastilha!!!!

Assim que, minha unha encaravada pode aguardar alguns minutos. Estávamos aqui conversado e inquirindo sobre o sentido da vida, mas não conseguimos ir muito longe. Sinal dos fracassos filosóficos costumeiros. (bando de neguinho desocupado?)

Vamos exemplificar, para que os leitores possam desfrutar da mesma barbárie exótica que nós estamos passando por.

Exemplo 1:

- O que você faz da vida?

(Leandro liga - 18:13h e ele diz: O AMOR É IMPORTANTE, PORRA!)

- O que ocorre com as garrafas, quando a cerveja se esvai? O que resta de nós, humanos dos infernos????

A questão é outra, vamos descatar o texto até agora e atingir o ponto alfa do texto todo:

O QUE ACONTECE COM O MUNDO, QUANDO ACABAR A CERVEJA???

Realize a cena: você se arruma, se apruma, se perfuma, sai de casa no sábado.


- Morris says: Mas o que é felicidade? E sim, eu tenho a resposta: Só quero saber se mais alguém tem, assim posso vender mais caro...

Voltando, você sai de casa e chega ao bar. Encontra com aqueles amigos, aqueles de verdade, aqueles de infância, e começa o papo.

- .........
- .........
- .........
- ........
- .............................................(suspiro). Então, acabou a cerveja?
- É.
- Para sempre?
- ...........................
- GIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIILLLLLLLLLLL!!!!! *
- Pois não? (com aquele sorriso maroto)
- Acabou a cerveja?
- Pois é. Mas temos trident!
- Toda ela?
- Sim, acabou e não tem mais.
- E quando chega?
- Nunca mais.
- ..................................................
- ...............................................
- ..............................................
- ..........................................
- Como assim? Eu vou no McHamud (o nome do bar foi alterado para evitar merchadising não merecido e porque o nome iraquiano era muito mais legal que o original...) então...
- Lá também não tem. Voces não entenderam. Acabou a cerveja do mundo todo. De todos os lugares. Acabou. Não tem mais.
- Não pensei viver o suficiente para ver isso. Eu vi o dólar valer 1 milhao de reais. Eu vi o Corinthians ser rebaixado. Eu vi o Ronaldo no Corinthians. Eu sobrevivi à gripe aviária, gripe espanhola, gripe suína, gripe internacional do seu cu. Eu sobrevivi nos territórios ocupados. Em São Paulo, no centro, andando de costas na Paulista. Mas não achei ter que passar por isso.
- É. Lembra quando a gente podia fumar cigarro?
- O que é cigarro?
- Aff

O caos. O fim dos tempos. O fim da sociedade como a conhecemos. Ninguém faz amigos tomando leite, motivo pelo qual a amizade de bar também está fadada a seu fim.

Yellow foi ao banheiro. Voces perceberão que isso não é necessariamente um problema. Vamos falar de sua unha encravada, utilizando a moderníssima técnica da Transliteração Livre (TL).

- Ahhh, it burns to hell!!!! - berrinho bicha - A Dona Graça do 41 vai dá um jeito. - complementa.

Mas, à pedido dos fãs participantes voltemos ao problema anterior.

Fato de fato: a cerveja não acabou. Mas tenho certeza que se acabasse, eu seria um dos primeiros a saber (Propaganda do Twiter Detected) porque afinal eu... O QUE!?

Bom, eu pelo menos percebi que, por enquanto, não consigo escrever em dupla (o que dizer em grupo...)... HADOUUUUKEN

* Yellow toma as redeas novamente.* Nunca mais atendo o telefone no meio da escrita...

Bem, o fim da cerveja traria consigo o fim de uma era, o fim de uma geração, o fim de um ritual mágico: a alegria do buteco, de segunda, de terça, de quarta, de sempre. Aquele um que a gente se habitua a frequentar. Aquele um que difere em nomes, mas tem como fim o mesmo objetivo: agregar pessoas e trazer alegria à nação. (algo parecido com as Igrejas, só que sem penitências).

(Morris says: Aaaaaahhhh, sempre quis ser um dançarino!!! *colocando as sapatilhas de balé*).

Sim à cerveja! Sim ao cigarro! Sim às alegrias da vida! Sim à desmoralização total e completa do ser humano! Do pó viemos, e a ele voltaremos! (Morris says: PAREI DE FUMAR!!) Sim à liberdade de destruir e desintegrar os nossos órgãos, já que é tudo que temos para sempre, nossos únicos companheiros, aqueles que nos carregam e nos toleram (ou não) para todo o sempre.

Vou aproveitar a música triunfante que escutamos agora (See The World- não sei de quem é) e terminar esse texto por aqui. Cheers, meus queridos! Vamos beber enquanto ainda é dia, a aproveitando que amanhã é sempre natal!!! :)

* GIL - Garçon Intergactico L. - Esse deve ser o nome do cara que atende no Azaqléia (o nome do bar foi alterado para evitar merchadising não merecido e porque o nome iraquiano era muito mais legal que o original...)

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Enquanto Isso, no Plenário da Justiça


Barney*, o Leão Marinho do Nordeste sorri satisfeito com seus últimos feitos. Ele, cínico, desfruta da glória do passado enquanto ergue a clava forte contra a população que julgava amá-lo. Mais um caso de traição a 165 milhões, cada vez mais comum. Creud* explica.

Notável mesmo é o cinismo de todos que sentam na sala e, respeitosamente escutam e acenam felizes a sua excelência, o leão marinho, porquanto ele permaneça naquela cadeira mais alta, que outrora pertenceu a Eighterino*, o Porteiro. Mas basta sua excelência sair do recinto, para que a festa realmente comece. É uma vergonha! No mínimo é falta de educação falar mal pelas costas, então os representantes da vontade do povo deveriam dar o exemplo sendo sinceros excelência com excelência. Mas...

Então sobe no palanque Simão *, o Macaco Velho.

- Excelentíssimas excelências, creio que a excelência marinha já excelentou o que tinha que excelenciar, portanto, excelentemente, prenuncio que seria excelente no caso de vossa excelencia o leão marinho, denotado por excelência, deixar este excelente cargo a fim de que a escória da população não-excelente pare de encher nossos excelentíssimos pacovás. Seria de excelente grado!!!

Aí, como já é de costume, os senhores magistrados perderam a compostura. Foi excelente.

Pois então pediu a palavra o também já dono daquela cadeira fofucha, o Quernan Cabelos*. E haja roupa suja lavada!!!

- Mimimimimimimimimimimimimimi faz 30 anos que vc não gosta do leão-marinho!!! Salve os leões marinhos!!!! Mimimimimimimimimimimimimimimimimi eu renunciei porque eu sou ladrão, é diferente!!!! Mimimimimimimimimimimimimi

- Veja bem, Senador Cabelos. Vossa Excelência esquece-se que há tempos excelentes atrás, vossa excelência encontrou se com a outra excelência Prettor*, ex-presidente desta grande nação. Criaram um partido, e quando derrubaram o Prettor*, o senhor fugiu... saiu de fininho excelentemente. Francamente? Totalmente Excelente.

- Mimimiimimimimimimimi mas não fiz isso pelos bastidores!!!! Mimimimimimimimimiimi Vocês vão ter que me engolir! Mimimimimimimimimimi! Fui um ministro muito bem avaliado! Mimimimimi

Nuvens negras assolam o local. O vilão, o mau-carácter, o charlatão, o gigante epaminondas da história política dessa nação surge de sua bancada, com cara de quem recém-cheirou cocaína, e toma-lhes a palavra. Prettor * says:

- Rooooooooooooooooooooaaaaaaaarrrrrrrrr!!!! Palavras!!!! Engula!!! Degluta!!! Enfie onde achar digno!!!! Se falar meu nome de novo conto tudo pra minha mãe!!!! O senhor é um Parlapatão (sic) !!!

Resultados de tudo isso:

- Aeeeeh, tá rolando pizzada la na casa da vó, vamo ae de galera????

- IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIRRRRRRRRAAAAAAAAAAA!!!

Auê geral. Baderna, fanfarra. Todos sentam-se juntos à mesa, sorriem, deglutem e enfiam a pizza onde querem. Como sempre é feito. Isso é Plasil* mesmo....

*** Essa é uma história fictícia. Qualquer semelhança com a vida real terá sido mera coinscidência.

* Todos os nomes foram alterados para proteger a minha integridade física, moral e política. Isso porque sou um importante membro da comissão eleitoral deste país: Sou um mesário (cheio de orgulho).

sexta-feira, 31 de julho de 2009

O que que eu vou dizer lá em casa?


- Mas é verdade querida, eu fiquei preso num iceberg com a ressaca do mar... alo? Querida?? Querida???
- tutututututututu

quinta-feira, 30 de julho de 2009

A Nota na Pausa


Já faz um tempo que não consigo entrar na academia de forma "normal", que significa: passo o cartão - a catraca é liberada - eu entro. Agora quando eu passo o cartão, aparece escrito assim: EXAME MÉDICO VENCIDO, e uma sirene soa por toda a academia. Todos me olham, desconfiados. Aí eu tenho que dizer pra moça da recepção:

- Oi, libera aqui pra mim?
- Sim... fala mais...

Mas outro dia uma moça não tão volúvel bem-humorada estava na recepção, e perguntou:

- Mas por que está bloqueando?
- Ah, é que o horário da minha aula é mais tarde, então ela só liberaria depois das sete e meia.... (mentira, mentira).
- Hum, sei. (Se fez de difícil, mas liberou também).

Então vi que isso não ia durar muito, e se descobrissem iriam colocar minha foto no quadro dos alunos mentirosos do mês. Tive que marcar uma consulta pra pegar o bendito atestado, pensando: “Cacete, tenho só 27 anos, porque tenho que ficar levando atestados de seis em seis meses, até parece que iria aparecer uma alteração cardíaca assim, de uma hora pra outra”. É, iria sim. Mas vamos por partes.

Bom, algum tempo depois, entrando no consultório do Dr. Gargamel (seu nome foi alterado para proteger sua identidade).

- Boa tarde Wally (meu nome foi alterado para proteger minha identidade). Então, o que está acontecendo...?

- Nada, só preciso de um atestado porque a academia está pedindo outro (já é a terceira ou quarta vez que vou lá pegar o atestado, e nessa hora ele sempre faz a mesma pergunta).

- Hum... qual academia é?

Nesta hora eu diria o nome, e ele diria “É boa!”. Mas resolvo fazer uma avaliação de mercado das academias da região, pela visão do Clínico Geral.

- Academia B (o nome da academia foi trocado para preservar sua identidade e para evitar merchan gratuito). Mas estou pensando em ir pra C. (faço academia na A).

- É... as duas são boas...

Era o que eu temia.

- ... mas então, como vou te dar o atestado, vamos fazer os testes de rotina né?

- É, lógico. Vai que tem alguém da Polícia Federal ouvindo e te prende por fornecer atestados falsos.

- Hã?

- Nada, nada.

- Huum... pressão 12 por 7. Excelente.

- Oié!

Daí ele começa a auscultar meu coração, e percebo que ele se demora mais que o habitual nesta etapa.

- Quantos anos você tem?

Respondo distraído enquanto tento decifrar o título de um livro que está do outro lado do consultório.

- Vinte e sete.

- Oi??? (tirando o estetoscópio).

- Vinte e sete!!

Escuta mais um pouco, e se afasta.

- Seu coração está com uma batida a mais...

- Pois é, não sei porque eles vivem pedindo esses... como???

- É. Você nunca ouviu essa batida diferente?Ela vem assim, meio fora de hora...

- Hã... então... eu não escuto nem as batidas normais... imagina se escuto essa.

- Olha, foi bem de leve assim... ela apareceu... depois sumiu... mas fiquei esperando, e daí ela voltou!! Bem baixinho, mas voltou!! (todo orgulhoso).

- Uau... não sei quem é o mais malandro, se ela ou você.

- Provavelmente não é nada... mas como o atestado é para praticar exercícios né? (eu não deveria ter falado da Polícia Federal...).

- Hum... e se fosse alguma coisa, o que seria?

- A gente chama essa batida de “Bem-vindo ao mundo de Marlboro”. (o nome do sintoma foi alterado para preservar sua identidade. Na verdade eu esqueci, mas o Google deve saber).

- E ela se deve a?

- Eu vou pedir uns exames...

- Psiu... oi??? (sacudindo o Gargamel pelo jaleco) E O QUE PODE SER ISSO?? Estamos falando da caralha do meu coração né?

- Hum... você fuma? Não tem cara de quem fuma...

- De vez em quando. Mas como é a cara de quem fuma?

Nessa hora o Dráuzio Varella entra na sala. Aponta pra mim, joga um cartaz sobre a Lei Antifumo na minha cara, diz “Rarrá!” e sai correndo. Penso em correr atrás, mas vai que meu coração não agüenta...

- Café?

- Não, obrigado. Já tomei um litro hoje.

- Stress?

- Sim, mas só em um dos empregos, o outro é mais tranqüilo.

- Qualquer um destes fatores pode provocar essa batida.

- É, mas que tipo de batida era? Um tambor, um bumbo? Tava muito fora do tom? Vai ver que é por isso que eu sempre desafino nos ensaios da banda e... wait!! Eu fiz uma avaliação na academia semana passada... e eles mediram meus batimentos e tal. Fiquei pedalando com duzentos e cinqüenta quilos de carga (divida isso por cem e você terá o valor real) e ela falou que meus batimentos poderiam chegar até 193, mas não chegaram nem a 130. Viu?? Meu coração é o Forrest Gump dos testes ergométricos. Essa batida aí deve ser meu estômago fazendo pipoca.­

- Deixa eu ver essa avaliação?Huum... mas não teve eletro... não foi feito por médico.

- Claro que não.

- Ué... foi feito na Academia A. Você não disse...?

- Não, não disse nada. (hehe).

- Bom, mas isso não serve. Isso aqui pra mim é nada.
(grosso!!)


- É? Fazer esse “nada” foi mais caro que sua consulta. (olé!!)

- Bom, você vai fazer os exames de sangue de rotina, e já pede o de potássio, e sódio, que regulam os...

- É, eu sei!! Achei que só fosse usar isso em vestibulares. Incrível. Aproveita e pede o de molibdênio também.

- Mas ele não tem a ver com isso.

- Não? E tem a ver com o quê?

- Bem... é...

- Brincadeira. Bom, se não tem jeito né...


E lá se foi nosso herói, com o cartão da Clínica “Cardio-Toma-Bestão” (o nome da clínica foi alterado para... vocês sabem) nas mãos, pensando que isso só deveria acontecer em trinta ou quarenta anos.

Não deve ser nada mesmo. Mas depois eu volto aqui pra dizer os resultados aos milhares de leitores do blog que se preocupam comigo.

terça-feira, 28 de julho de 2009

The Sun Keeps Unrising


Hoje fui acomedido com a visita ilustre de um amiguinho que eu já nem sabia que estava vivo: Sol, meu amigo Sol (The Sound of Music, 19 e tralala). E aí eu descobri que eu sou um cara atípico para os ares brasileiros, uma vez que eu ando cultivando uma depressão londrina e das bravas. Deve ser o excesso de New Casttle Brown Ale que tenho tomado nos pubs por aí. Ou não.

Fato é, que dias chuvosos não somente me desanimam, mas me deixam um bocado triste, no duro mesmo. Não é só que eu fico meio entediado por não querer me molhar ou nada disso. Os pingos são lâminas que cortam os meus mais invariáveis desejos alegres. Sobra a melancolia, uma cara emburrada e um mau-humor daqueles. É. Terrível, terrível.

Então, hoje eu acordei e sabia que tudo seria diferente. Eu senti um calor que já nem lembrava, vi um azul no céu que eu pensei ter nos deixado para sempre. Mas ele voltou, como sempre volta. Yupiiiiiiiiiiiii!!!!! Foram dias de cinza, dias de chuva, e para mim, dias sem a moto. Cara, a moto me diverte. Quase caí hoje. Foi tão divertido. : Mas foi mesmo. Cada vez mais divertido.

Aí, me deu vontade de ir para praia. Pra Jeri, de preferência. Lá, onde as libélulas gorjeiam e comem. Pra curtir esse solzão, tirar essa cinzura do corpo, sabe qual é? Dá vontade de chafurdar na lama e se secar sobre esse amigão, o sol. Cuspir pra cima, devolver essa chuvarada dos infernos pra onde veio! FIque longe de mim, bastarda!!! Yippee-ki-yay, mother fucker! (McLane, John).

Mas era mais isso mesmo. Dividir com vocês essa londrinidade, esse dedinho levantado para sambar o samba que dá coco. Há um tempo atrás, uma moça muito especial me escreveu uma poesia, falando do sol. Dizia que ele (o Sol) ouvia falar muito da escuridão, mas não conseguia entender, porque onde quer que ele estivesse, levava consigo a luz. E p-p-p-or hoje é só p-p-p-pessoal. Stay tuned for more happy days! Smack!


segunda-feira, 27 de julho de 2009

Cachoeiras

Vocês gostam de cachoeiras??


Eu gosto!!!


Foto de Cachoeira em baixa definição
Especialmente dessas bem grandonas, que fazem com que a postagem anterior fique bem lá embaixo. Tipo esta aqui, a Cachoeira de São Sebastião, que fica em Brotas / SP.




E tem esta outra também. É a Cachoeira do Aracá, a mais alta do Brasil.




Bom, é isso aí moçada. Hoje tivemos nossa aula sobre cachoeiras. Amanhã falaremos sobre montanhas. Montanhas beeeeeeem altas, se preciso for.

Ronaldo!!! Toca Uma pra Mim.


Cadê o Kiko?
Será que o Pica-Pau foi pra Turquia?????
Cadê o Kiko?
Brilha, Brilha, Estrelinha, la no chão, com a munhequinha.

quarta-feira, 22 de julho de 2009